3 de junho de 2013

A DESTEMIDA

Sempre quis ter uma jaqueta de couro. Ainda mais que andei analisando a sociedade e cheguei a conclusão que todo mundo que tem uma jaqueta de couro é poderoso. 
Mas tem que ser jaqueta de couro de verdade. Nada de sintético. Pra ficar certinho tem que matar primeiro o boizinho. 
Assim que eu achar minha tão sonhada jaqueta de couro TUDO VAI MUDAR.


Eu dominarei o mundo. Sim, pois isso só será possível quando eu colocar minha jaqueta preta de couro. Serei a cara do poder. Todos terão medo de mim. Eu até irei tirar doce das crianças e depois irei dar risada na frente da mãe e nada, NADA IRÁ ACONTECER COMIGO!



Porque eu serei a CAROL - A DESTEMIDA!



Então eu sairei por aí. Eu e minha jaqueta. Só nós duas. E quando eu quiser atravessar a rua, todos os carros vão parar. E os motoristas ainda vão assoviar “Fiu-fiu”.

Eu usarei minha jaqueta preta de couro em todos os lugares. E vou ainda usar com um coturno, só pra ficar mais malandragem! Até na praia vou usar a jaqueta!


De jaqueta de couro e óculos azul fúnebre! Um sucesso de bilheteria.

Depois que eu começar a usar a jaqueta preta de couro, farei mais amigos! Ficarei uma pessoa influente! Primeiro será na faculdade, depois meu nome estará rolando pela internet, sendo exemplo de opinião pública na sociedade!
É então que ficarei influente na política!


Terei CINCO Mac’s! Um pra cada dia da semana. 



E depois virarei amiga de Ana Carolina, Roberto Carlos, William Bonner, Silvio Santos, e tomarei cafezinho com a Marília Gabriela (e pegarei o contato do Reynaldo Gianecchini *-*!!) 



Carol, a Destemida, não ficará igual uma geléca mole ao andar de patins. Irá fazer manobras radicais de olhos vendados!


Levantará um carro com as mãos!

Escalará o Monte Everest! 

- É um roqueiro dos anos 80?

É o Kurt Cobain?

É um cara roqueiro cabeludo, só que gay?

É o Rodolfo?

NÃO! É A CAROL – A DESTEMIDA!






Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

5 comentários:

  1. Azul fúnebre! *-*

    ResponderExcluir
  2. Jaqueta assim sempre me lembra o roqueiro dos anos 80. Acho que o malvadão mesmo se eternizou no 'poderoso chefão' e ele usava um terno não? rsrsrs.
    Carol, lhe desejo 'sucesso' e desejo também que eu não te encontre, é que não gosto de pessoas más.
    A melhor parte de todas (e a mais criativa) foi a dos MACs asausausha, um pra cada dia da semana. Bjo

    ResponderExcluir
  3. HAUSHAIUSHAIUH prefiro colar um pedaço de couro na testa, super in.

    ResponderExcluir
  4. Rs. Que viagem! Uma coisa é certa, Carol, você arrasa nos seus textos, com ou sem a tal jaqueta de couro. Bjos,

    ResponderExcluir
  5. Kkkkkk
    Não quero estar perto de vc quando estiver com esta jaqueta, o cheiro não será muito agradável se a utilizar tanto... Seria bom se uma jaqueta fizesse tanto por minha personalidade, so que não. É preferível nem pensar no que se é e simplesmente ser. Refletir sobre a própria personalidade equivale a automutilar-se e mudar em decorrência do que presumivelmente tem mais valor na sociedade em que se vive. A jaqueta lhe cairá bem, mas no final das contas é só um acessório para cobrir e camuflar o ser especial que a veste.

    ResponderExcluir